terça-feira, 1 de janeiro de 2008

BUZZ!!!

Tendo como anfitriões Jorge Gabriel e o Nemo, quatro dos autores deste blog (fantástico, lindo, maravilhoso, perfeito…) reuniram-se para… para… para fazer diversas e variadas coisas. Mas Afonso Viegas (o dono da casa), Ruy de Lemos (o homem da guitarra), R. Fischer (o senhor do esparguete) e Pedro da Ega (eu… acalmem-se, não aplaudam tanto…) não estavam sozinhos! Não! Com eles, veio também um intruso… chamemos-lhe, anonimamente, “Ricardo”… O “Ricardo” (relembro, nome fictício) levou a mulher da noite! Não nos separámos dela. Não a largámos. Não fomos capazes. Ele trouxe a PlayStation… E com ela.. Jorge Gabriel.

Não se assustem! Não é nada disso que estão a pensar! Jorge Gabriel veio dentro de um CD, dentro do Buzz! Mas que jogo! Escolher os bonecos, dar-lhes nomes estúpidos (O “Bicha” venceu o prémio de nome mais parvo), escolher uma buzina, digamos, totó, e, finalmente, jogar! Depois ver os apêndices mamários virtuais da ajudante do apresentador (um boneco gordo com a voz de Jorge Gabriel, precisamente), ouvir as perguntas, carregar no botão, rir das respostas disparatadas, atirar tartes à cara dos outros concorrentes, roubar-lhes pontos e tentar ganhar. Mas ganhar era secundário. O importante era divertirmo-nos e não deixar a cerveja morrer.

A noite passou, jogámos Risco, Cluedo e outras coisas e acabámos a jogar PES. Foi giro, temos de repetir, e para a próxima aconselha-se que ninguém leve luvas… Esta informação foi patrocinada pelas minhas luvas, coitadinhas. Ficaram cheias de baba, mas felizes, porque o cãozinho é uma jóia de animal…

Lembro-me destes momentos enquanto balanceio na mala de um Citröen AX entre um pneu, uma garrafa de óleo e a ouvir a Shakira e o Mika. A viagem foi gira, gostei. O rádio do carro ainda lhe dá, embora tenha mais de uma dezena de anos. Viagem? Onde?, perguntarão vocês. Ao “Ricos”. Uma “jola”, conversas parvas, recordar os velhos tempos (parece que temos já 70 anos) e voltar. Foi bom. Soube que nem ginjas…

As férias estão a ser boas. Acordar tarde, ir para o café ou simplesmente fazer nada. E depois, à noite, dar umas festas na Broyer, ver o Gato Fedorento, discutir música com proprietários de estabelecimentos comerciais, entre outros. Viva as férias. Viva o dolce far niente. Viva, viva! Viva a pornografia austríaca e à mesa de snooker do Solha…

PS- Um excelente ano de 2008 para todos!

Um comentário:

o viegas do afonso disse...

yupiii what a n8.. pior veio qd fiquei arrumar td cm o fischer e vcs a dormir.

opah n é "ricos" mas sim "rikkus".

diz la se o fred n é um sr.bebado? mas td na descontra e na paz LOOOL
bizou