quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Quem me dera ser louco

Peço desculpa, mas não resisti, e vou postar. Mas o post não é meu, – quem me dera! – é de um génio. É de alguém que “não tem biografia, só génio”. Melhor definição não pode haver. É simples. É verdadeira.

Aqui vai o excerto que li, e que me fez pensar. E muito. Muito mesmo…

«Loucura?! – Mas afinal o que vem a ser a loucura?...

Um enigma… Por isso mesmo é que às pessoas enigmáticas, incompreensíveis, se dá o nome de
loucos

Que a loucura, no fundo, é como tantas outras, uma questão de maioria. A vida é uma convenção: isto é vermelho, aquilo é branco, unicamente porque se determinou chamar à cor disto vermelho e à cor daquilo branco.

A maior parte dos homens adoptou um sistema determinado de convenções: é gente de
juízo

Pelo contrário, um número reduzido de indivíduos vê os objectos com outros olhos, chama-lhes outros nomes, pensa de maneira diferente, encara a vida de modo diverso. Como estão em minoria… são doidos…

Se um dia porém a sorte favorecesse os loucos, se o seu número fosse o superior e o género da sua loucura idêntico, eles é que passariam a ser os ajuizados:
Na terra dos cegos, quem tem olho é rei, diz o adágio: na terra dos doidos, quem tem juízo, é doido, concluo eu.»


Mário de Sá-Carneiro, Loucura

4 comentários:

afonso disse...

Na nossa rua, quem tem cão é rei, diz o horácio: na nossa rua de perseguições, quem tem juízo, é doido, concluo eu. LOOOL
e viva a caneca!

a.medeiros disse...

gosto da vossa escrita no geral.
k turbilhao de blog=D

Madalena disse...

Gostei muito de conhecer o vosso blog!!!
Continuem a trabalhar a vossa boa imaginação e o bom trabalho até agora!
Vou estar atenat às vossas novidades, eheheh... ;)

viegas disse...

loucura de noite... e viva o emrabanço dos doggys
cuidado o freddy anda por aí...:P
beijo minha loucura salazarista <3